jusbrasil.com.br
6 de Abril de 2020
    Adicione tópicos

    Audiência irá debater a diversidade sexual na AL

    O requerimento apresentado pelo deputado estadual Alexandre César (PT) foi aprovado em plenário e o evento faz parte da programação da XI Parada da Diversidade Sexual marcada para o dia 23 de novembro em Cuiabá.

    A diversidade sexual será tema de audiência pública a ser realizada na Assembleia Legislativa no dia 21 de novembro, às 9h. O requerimento apresentado pelo deputado estadual Alexandre César (PT) foi aprovado em plenário e o evento faz parte da programação da XI Parada da Diversidade Sexual marcada para o dia 23 de novembro em Cuiabá.

    O parlamentar atendeu o pedido do Grupo Livre-Mente: Conscientização e Direitos Humanos LGBT que está à frente da organização da parada. Este ano serão realizadas diversas atividades como seminários, mostra itinerante de cinema, debates, entre outras ações que visa ter a participação da sociedade para um trabalho de conscientização.

    A XI Parada da Diversidade Sexual terá como tema "Estado Laico, sua religião não é a nossa lei". O objetivo é debater a homofobia e buscar a igualdade dos direitos, além de discutir a violência contra os homossexuais que tem preocupado as entidades ligadas ao movimento.

    Um levantamento efetuado pelo Grupo Gay da Bahia aponta que Mato Grosso registrou três vezes mais homicídios em 2013 se comparado ao ano anterior. Até junho deste ano foram registrados 10 assassinatos contra homossexuais. O crescimento é classificado como preocupante pelo grupo.

    No estado foi criado o Grupo Estadual de Combate à Homofobia que já iniciou um trabalho de formação dos profissionais da segurança para que saibam como atuar com este público. O grupo também trabalhar em estudos que revelem qual a situação dos homossexuais em Mato Groso.

    A Parada da Diversidade Sexual teve início em 28 de junho de 1969 em Nova Iorque como um dia de resistência, de luta e como estratégia para que os heterossexuais conheçam um pouco da realidade da população homossexual. Já no Brasil, as paradas tiveram início na década de 90. O movimento LGBT brasileiro organizou-se através de redes nacionais e de entidades da sociedade civil organizada para apresentar aos governos Federal, Estaduais e Municipais as demandas do grupo de forma sistematizada. Uma das lutas é pela criminalização da homofobia.

    O deputado Alexandre César (PT) apresentou projeto na Assembleia Legislativa que trata de penalidades à prática de discriminação em razão de orientação sexual. A proposta tramita na Casa, mas enfrenta resistência da bancada evangélica para ser aprovada.

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)